Dina Louro

Dina Louro

Formadora na área comportamental. Coordenadora GOT. Carmelita Secular

Uma tangerina nas Tuas mãos

Uma tangerina nas Tuas mãos

Quando caminho em comunidade, quando caminho com irmãos e irmãs, a santidade discreta, humilde, imersa em Amor, torna-se possível pela Graça de Deus, pois é esta que me alimenta e vive em mim. Deixo-me desenganar, deixo-me acolher e acolho e o milagre da conversão, a beleza que é viver na Vontade de Cristo, acontece. Os meus passos tornam-se ousados e purificados pela justiça amorosa de Deus. A comunidade orante torna-se fecunda neste Amor que brota de Jesus. A vida de cada membro torna-se uma oração.

Uma tangerina nas Tuas mãos

Uma tangerina nas Tuas mãos

Quando caminho em comunidade, quando caminho com irmãos e irmãs, a santidade discreta, humilde, imersa em Amor, torna-se possível pela Graça de Deus, pois é esta que me alimenta e vive em mim. Deixo-me desenganar, deixo-me acolher e acolho e o milagre da conversão, a beleza que é viver na Vontade de Cristo, acontece. Os meus passos tornam-se ousados e purificados pela justiça amorosa de Deus. A comunidade orante torna-se fecunda neste Amor que brota de Jesus. A vida de cada membro torna-se uma oração.

O bicho da seda e a borboleta

O bicho da seda e a borboleta

Moradas ou Castelo interior é mais do que um livro da Santa e Doutora da Igreja, Teresa de Jesus. Com este símbolo do Castelo retrata-nos traços do mistério da relação do homem com Deus. Porque o homem é capaz de Deus, as portas que Santa Teresa nos ajuda a abrir franqueiam-nos a possibilidade de entrar dentro do nosso Castelo Interior e aí construir uma verdadeira história de amizade «com Quem sabemos nos ama».

Olhar o Invisível

Olhar o Invisível

Este Claustro, onde ora nos encontramos, dá-nos a liberdade de partilhar das mais lindas parábolas e imagens de que os sábios e santos se servem para nos falarem de realidades inefáveis, cultivadas no silêncio contemplativo da intimidade com Deus.

Céu: aqui e agora

Céu: aqui e agora

“Somos responsáveis e chamados a darmos o primeiro passo no testemunho do Amor depois de nos deixarmos envolver, ou antes engolfar no Amor de Deus, numa profunda vivência de uma Empatia Trinitária que desemboca numa empatia para com o outro. Daqui nasce uma vocação...