Jul 4, 2023 | Casa comum, Economia e fé

Professora. Carmelita Secular

A teoria dos três zeros e a vida plena

Partilhar:
Pin Share

Recentemente, Portugal recebeu a visita de Muhamad Yunus[1], prémio nobel da paz em 2006, conhecido como o banqueiro dos pobres e defensor do microcrédito. Nos seus diferentes discursos falou-nos da teoria dos três zeros: Zero aquecimento global; Zero concentração de riqueza; Zero desemprego. Segundo a sua visão, a esta teoria corresponderá uma nova civilização baseada em valores humanos, de partilha e cuidado uns com os outros. Uma tarefa para as novas gerações, nas quais deposita uma esperança sem limites. Quando lhe pediram para explicar o significado e bases desta teoria, Muhamad Yunus refere (de forma muito resumida e indicando apenas traços principais) que o aquecimento global, por si só, destruirá o Mundo inteiro, o que já está a acontecer e não estamos a prestar a atenção que é necessária. Mas afirma que não é um problema que deva ser visto de forma isolada. Há um segundo grande problema, é o da concentração de riqueza. Por causa do desenho que escolhemos para a nossa economia, toda a riqueza do Mundo vai para apenas algumas pessoas. Ele compara a atual economia com uma máquina de sucção. Uma máquina que suga toda a riqueza de baixo e a empurra para o topo, afirmando que 1% da população mundial possui 99% da riqueza do Mundo. É alarmante! Esta concentração de riqueza não traz qualquer benefício para as pessoas comuns. Afirma que é “preciso redesenhar o sistema económico para que ele funcione de outra forma. Em vez de a riqueza ir para as mãos de algumas pessoas, a riqueza tem de ser distribuída por todas as pessoas. É esse tipo de mudança que precisamos.”

O terceiro “zero” chama a atenção para o grande problema do desemprego massivo. E Muhamad remata: “E por isso é que proponho que criemos um mundo de três zeros. Zero aquecimento global. Zero concentração de riqueza. Zero desemprego. É isto que nos ajudará a superar os problemas. Se abordarmos os problemas por partes, se fizermos uma mudança de cada vez, não vamos conseguir. É como se a nossa casa estivesse em chamas e nos limitássemos a atirar uma colher de água. O fogo não vai parar. Se a casa está em chamas, é preciso mudar tudo. Concentremos toda a nossa atenção em apagar o fogo. E não o estamos a fazer.” [2] 

Estas são palavras e ideias sábias que tentam mudar o mundo dos negócios, da economia, … um apelo urgente. É necessário gerar mais vida e vida em abundância. É iluminador colocar grandes homens e mulheres em diálogo pelo que se completam e nos ajudam a descobrir novas formas de olhar a vida e intervir positivamente no seu curso. Por isso, faço aqui a ponte com o nosso Beato Padre Eugénio Maria, carmelita francês, que fundou o Instituto Notre-Damme de Vie (Nossa Senhora da Vida) em Venasque, França. Um homem preocupado com a qualidade de vida e que muito nos falou da fecundidade da VIDA! 

Considero que existe uma ligação próxima desta urgência de uma nova economia com a fecundidade da VIDA. Como podemos ser seres humanos plenos  se não tivermos VIDA em todas as suas dimensões (zero alterações climáticas – afeta a qualidade de vida, menos  doenças, vida saudável), zero concentração de riqueza (dignidade para todos, ter as condições básicas de dignidade humana: ter acesso a uma casa, ter acesso a educação, ter igualdade de oportunidades), zero desemprego (o trabalho dignifica o homem, o homem também recebe a sua dignidade por um lugar no mundo do trabalho onde pode colocar a render os seus dons).

Sem avançar muito pelos ensinamentos magníficos e profundos deste grande homem, apenas referir também três ideais que me ficaram na mente ao ler os seus ensinamentos: A VIDA na oração, a VIDA na regra e a VIDA no amor.

A Vida na oração: “as horas de oração de dia e de noite não são apenas um exercício da nossa vida, é para que sejais fiéis ao próprio fundamento da vossa vocação que é a experiência de Deus, um chamamento à busca de Deus, uma necessidade, uma sede de Deus.” 

A vida na regra: “suporte que permite exprimir o essencial, a letra é a guardiã do espírito. Mas a lei não deve ser estorvo, foi feita para servir o espírito”.

A Vida no amor:  aprendeu muito com Santa Teresinha tendo impulsionado a publicação dos seus textos integrais e autênticos. E diz sobre ela: “à nossa civilização que perdeu o sentido do infinito e sofre com isso, Deus enviou uma criança que com os encantos e a pureza luminosa da sua simplicidade, repete a mensagem eterna do Seu amor… Em cada viragem da história, o Espírito Santo coloca um guia a cada civilização que desponta, dá um mestre encarregado de difundir a Sua luz. Deus colocou Teresa do Menino Jesus para revelar, para fazer amar o amor, para recrutar uma legião inumerável de pequenas almas que tendo experimentado o amor, são capazes, cá na terra, de lhe travar os duros combates”.

Assim com tantas provas dadas pelos Santos do Carmelo temos a confiança que continuam a surgir guerreiros, guardiões, lutadores que ajudam a salvar em cada dia a humanidade.

E ficamos com a certeza de que “O Espírito Santo não nos abandona nos momentos de dificuldade. A grande prova de santidade não é a ausência de tentação ou de cansaço, mas a persistência no caminhar, no reagir, no prosseguir em direção a Deus”[3] (Beato Eugénio Maria).

Yunus é um crítico implacável de um sistema financeiro “que não serve a humanidade”. Eugénio Maria é um apóstolo de coração contemplativo que deixou uma mensagem brilhante para ver a Deus… Duas visões que nos permitem contemplar a vida numa perspetiva plenificante, a caminho da VIDA plena!


[1] Para quem quiser aprofundar mais sobre o trabalho de Muhamad Yunus sugerimos a leitura de algum dos seus livros, a título de exemplo referimos: (1) Criar Um Mundo Sem Pobreza – O Negócio Social e o Futuro do Capitalismo ou (2) O Banqueiro dos Pobres – O microcrédito e a luta contra a pobreza no mundo, ambos das Editora Lifel.

[2] Ideias baseadas na entrevista disponível em https://www.noticiasmagazine.pt/2023/muhammad-yunus-ha-uma-maquina-que-suga-toda-a-riqueza-de-baixo-e-a-empurra-para-o-topo/historias/288973/ acesso em junho 2023.

[3] Ideias retiras do livro: Padre Maria Eugénio do Menino Jesus – Mestre Espiritual para o nosso tempo, de R. Regue, Edições Carmelo.


[1] Para quem quiser aprofundar mais sobre o trabalho de Muhamad Yunus sugerimos a leitura de algum dos seus livros, a titulo de exemplo referimos: (1) Criar Um Mundo Sem Pobreza – O Negócio Social e o Futuro do Capitalismo ou (2) O Banqueiro dos Pobres – O microcrédito e a luta contra a pobreza no mundo, ambos das Editora Lifel.

[2] Ideias baseadas na entrevista disponível em https://www.noticiasmagazine.pt/2023/muhammad-yunus-ha-uma-maquina-que-suga-toda-a-riqueza-de-baixo-e-a-empurra-para-o-topo/historias/288973/ acesso em junho 2023.

[3] Ideias retiras do livro: Padre Maria Eugénio do Menino Jesus – Mestre Espiritual para o nosso tempo, do autor R. Regue, Edições Carmelo.

Partilhar:

Artigos

Relacionados

O Divino Pintor e os outros em emendas de sentimentos

Demos início à obra artística hoje mesmo. Talvez precisemos de mais amor e generosidade. Amor no coração e generosidade na alma. Subamos ao alto da serra, às cumeadas revestidas de neve das altas montanhas. E quando descermos pintaremos mais vivamente na nossa alma, a virtude do desprendimento das coisas terrenas. O degradé de cores do Divino Pintor. Sejamos espelho e abracemos o outro que clama por nós, n´Ele.

read more