Ago 29, 2023 | Caminhamos juntos, Casa comum

Carmelita Secular

Deus nunca se cansa de dar*

Partilhar:
Pin Share

A gestação e o nascimento de filho é um imenso dom de Deus, o jardineiro das nossas almas. Para os pais, um cuidado, um desafio, um voto de confiança na Providência, uma oportunidade de aprender e crescer mais e mais. Um caminho por fazer.

A história das nossas vidas é um jardim onde Deus nunca se cansa de fazer brotar lindas flores. Das mais subtis como o vivaz ou as margaridas, às mais exuberantes como as hortênsias ou as orquídeas. E nós temos agora uma linda florzinha nas nossas vidas!

O nosso coração encheu-se de uma grande alegria e cantamos as palavras do Salmo 9: «De todo o coração, Senhor, Vos quero louvar, e contar todas as vossas maravilhas». Esta pequena partilha é um pequeno ato de louvor e de ação de graças a Deus pelo dom da vida que brotou da nossa união. A nossa Teresinha tem hoje (dia 22 de agosto) quatro dias, mas ela já está nas nossas vidas há vários meses e é sobre essa história que vamos escrever.

Dois momentos marcantes

No dia 4 de dezembro 2022, participámos no encerramento da visita pastoral do Dom Armando Domingues, bispo auxiliar do Porto, às Paróquias de Rosém e Avessadas que se realizou no Convento de Avessadas. Apesar de estar de saída para assumir a Diocese de Angra, Dom Armando foi insistente no desafio que deixou a todos os presentes: «não há comunhão sem participação»! O cristão de hoje é desafiado a envolver-se na sua comunidade e a dar o seu contributo para a Igreja do futuro. O processo sinodal que a Igreja atravessa não é apenas uma recolha de ideias, de pensamentos, ele exige o envolvimento participativo de todos na vida das suas comunidades. A comunhão que se anseia não é possível sem que façamos comunidade!

A determinado momento, toda a Assembleia cantou efusivamente o canto do Glória que o Senhor Bispo pediu que se repetisse, tal foi o momento de comunhão que se sentiu entre todos os presentes. Nesse momento, a minha esposa sentiu algo especial dentro de si… uma espécie de intuição de que aquilo que muito desejava estava a acontecer: uma nova vida se gerava no seu seio! E assim foi: dias mais tarde testou positivo no primeiro teste de gravidez que fez.

Foi nesse momento de oração que nós os dois, individualmente, sem termos falado um com o outro, encomendamos também a nossa prece ao Menino Jesus de Praga, de nos conceder o dom de um filho. No regresso a casa, partilhámos um com o outro esse momento e decidimos que o nosso primeiro filho (quando viesse) se chamaria João ou Teresa, em devoção a João da Cruz e a Teresa do Menino Jesus, santos que têm feito parte do percurso formativo definido pela nossa comunidade de Carmelitas Seculares do Menino Jesus de Praga – Avessadas.

O segundo momento muito significativo para nós foi a 25 de dezembro 2022, quando, na primeira consulta de acompanhamento da gravidez, ouvimos pela primeira vez o coração do nosso bebé a bater. Impressionante como daquele pequeno círculo que se via na imagem da ecografia, com seis semanas de gestação, surgia um som de um coração a bater apressado. Um momento indescritível e uma emoção muito grande. Aquele som encheu-nos de esperança e deu-nos mais confiança para, dia após dia, exame a após exame, chegar ao dia tão desejado.

Jesus, o fiel jardineiro

Jesus é o fiel jardineiro que, pelas mãos de várias pessoas, foi cuidando esta linda flor.

Desde junho de 2022 que estávamos em Lisboa e, quando soubemos da gravidez, surgiu a questão de qual o hospital onde iriamos ser acompanhados. Contudo, como já estávamos a ser seguidos no Hospital de Penafiel, pela relação específica de confiança com a médica que nos estava a acompanhar, decidimos continuar ali. Apercebendo-se desta nossa situação à distância, a médica que nos acompanhava agiu muito para lá do que as boas práticas médicas o exigem. Em todas as marcações de exames, colocava uma nota: «a grávida está em Lisboa e era bom que o exame fosse preferencialmente a uma segunda ou sexta-feira». Não estava nas mãos dela que isso fosse cumprido ou não, mas não deixava de o pedir. Para lá do acompanhamento presencial das consultas agendadas, tinha o cuidado de procurar pelos resultados dos exames para os poder ver de uma forma imediata e ajustar o que fosse necessário, sem ter de esperar pela consulta seguinte. Desse modo, permitiu-nos um acompanhamento mais presente e, para nós, gerador de maior segurança.

Os dias e os meses foram passando, com mais ou menos enjoos, mais ou menos receios, mas sempre com uma grande confiança em Deus e no Seu desígnio para nós!

Confiança em Deus

Em tudo isto, fomos descobrindo a mão de Deus na nossa vida. Nos pequenos gestos, nos momentos que nos marcam e em tudo vamos desvendando o caminho que Ele nos convida a percorrer. E em tudo e a todo o momento «o caminho é o abandono da criancinhaque adormece sem medo nos braços do seu pai». Só esta confiança nos permite soltar as amarras dos medos e de todo o egoísmo que, tantas vezes, nos pretende e nos impedem de darmos mais e de amarmos mais. Quem ama, fá-lo completamente, e não aos pouquinhos, ou ao sabor dos acontecimentos do dia-a-dia.

No dia em que tivemos alta do hospital, passamos – agora, os três – no Convento de Avessadas para entregar a nossa Teresinha ao cuidado da nossa Mãe Senhora do Carmo e agradecer muito ao seu filho Menino esta graça que nos concedeu.

Hoje já estamos há três dias em casa, agora com novos desafios e com muitas dúvidas que um primeiro filho sempre traz.

Continuamos a caminhar…
Continuamos a aprender…
Entregamos tudo nas mãos de Deus.

Louvado sejas!

* Com a esposa Ana Rita

Partilhar:

Artigos

Relacionados

Almas Jovens, Corações Vivos: Emoções e Vivências Profundas no Âmago da Igreja

A relação entre a Igreja e o estado emocional dos mais novos pode ser complexa e influenciada por uma variedade de fatores interconectados. Estes fatores complexos interagem de maneira única, impactando as perceções e emoções dos mais novos em relação à Igreja. Entender esta interação é crucial para criar ambientes religiosos que promovam o bem-estar emocional. E a Igreja, será que desempenha um papel fundamental nesta tela? Caminha ela de forma salutar, passo a passo, com o mundo emocional dos mais novos?

read more

O Divino Pintor e os outros em emendas de sentimentos

Demos início à obra artística hoje mesmo. Talvez precisemos de mais amor e generosidade. Amor no coração e generosidade na alma. Subamos ao alto da serra, às cumeadas revestidas de neve das altas montanhas. E quando descermos pintaremos mais vivamente na nossa alma, a virtude do desprendimento das coisas terrenas. O degradé de cores do Divino Pintor. Sejamos espelho e abracemos o outro que clama por nós, n´Ele.

read more